Ricardo Miranda Filho
A poesia é um estado de sentimento único, compreendido através da ação de vivê-la.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Resenha: A hora da estrela, de Clarice Lispector

Em mais um livro, Clarice Lispector consegue mostrar sua brilhante escrita criativa por meio de uma estrutura bem concisa e coerente, com cada cena e personagens bem construídos e descritos em seu último romance, mas que com certeza ficará para a eternidade na literatura brasileira.

Em A hora da estrela, Clarice apresenta um narrador fictício que conta a história da nordestina Macabéa que, orfã e pobre, decide ir morar no Rio de Janeiro tentar uma vida melhor e mais digna. Lá consegue um bom lugar para morar, se emprega como datilógrafa e passa os dias ouvindo a Rádio Relógio. Passa-se um tempo, e Macabeá acaba se apaixonando pelo metalúrgico Olímpio de Jesus que depois a trai com uma colega de trabalho. Devido a enorme decepção, ela vai a uma cartomante que lhe revela um futuro brilhante.
Com uma escrita bem intimista, Clarice Lispector nos apresenta um livro que nos traz uma reflexão sobre nós mesmos, quando desejamos o bem em nossas vidas com questionamentos acerca de como podemos começar as coisas para alcançar nossos objetivos.
 
Tudo no mundo começou com um sim, Uma molécula disse sim a outra molécula e nasceu a vida. Mas antes da pré-história havia a pré-história e havia o nunca e havia o sim. Sempre houve. Não sei o quê, mas sei que o universo já começou.
[…]
Enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta continuarei a escrever. Como começar pelo início, se as coisas acontecem antes de acontecer? Se antes da pré- pré-história já havia os monstros apocalípticos? Se esta história não existe, passará a existir. Pensar é um ato. Sentir é um fato. Os dois juntos — sou eu que escrevo o que estou escrevendo. […] Felicidade? Nunca vi palavra mais doida, inventada pelas nordestinas que andam por aí aos montes (LISCPECTOR, 1998, p.11)

Por meio de uma linguagem simples, mas bem definida e com um teor psicológico e intimista, a narrativa de A hora da estrela nos ajuda a compreender sobre os problemas do ser humano como um diálogo sobre nós como forma de proteção. É um livro que vale a pena ser lido.
 
Ricardo Miranda Filho
Enviado por Ricardo Miranda Filho em 01/07/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras